Embora possa parecer, à primeira vista, um lugar onde não existem regras, Black Rock City possui 10 princípios que governam como as pessoas interagem com a cidade e umas com as outras. O próprio fundador do festival, Larry Harvey (falecido em 2018), os escreveu, como guias.

Eles não devem ditar como as pessoas devem ser e agir, mas sim como um resultado da cultura da comunidade que cresceu organicamente, desde 1986, quando começou com 20 participantes, até o gigante que é hoje, com cerca de 70 mil pessoas.

 

ENVOLVIMENTO

Este princípio implica no fato de que não devem existir espectadores, portanto se você pretende ir para o deserto apenas para se entreter, saiba que este não é o propósito do Burning Man.

Tudo aquilo que acontece no Burning Man (e que te fez desejar estar lá) é organizado de forma colaborativa por acampamentos. Por isso é esperado que todos os participantes da cidade estejam envolvidos em algum projeto que proporcione algum tipo de interatividade.

 

Diante disso, a nossa comunidade tem como primeiro objetivo a oportunidade de fazer parte de um grupo que realiza arte em Black Rock City. Somos um Art  Camp. Sendo assim, todos os participantes do nosso Camp são parte do projeto de uma instalação de arte.

Além do evento anual em Nevada, a filosofia do Burning Man comporta-se como uma vibrante cultura em crescimento. A rede global conta com 220 representações em 28 países, que produzem cerca de 50 eventos oficiais pelo mundo, espalhando os valores e

ideais do movimento burn. ​A própria organização do Burning Man atua de forma pró-bono no desenvolvimento de engajamento cívico, criando programas de educação e arte ao redor do mundo, baseando-se nos 10 princípios.

Seja em Black Rock City ou ao redor do mundo, a intenção do Burning Man é  de compartilhar um novo modelo de interação cultural e social valorizando as manifestações artísticas coletivas em prol de um mundo mais criativo e conectado.

Black Rock City é previamente planejada, e organizada como um relógio, com vias principais denominadas de acordo com as horas em um relógio, e as vias que cortam nomeadas de A a L, ficando muito fácil se localizar e se locomover em Black Rock City. Em 2017, Black Rock City recebeu cerca de 70 mil pessoasd conforme o Censo, criado pela própria polulação.

Quando você chega em Black Rock City, por uma única entrada, você é guiado pela organização do evento para vagas disponíveis. Uma vez que você para o seu carro, não é possível andar com ele mais, a não ser que ele seja um “carro mutante” e alegórico. Todos os carros não podem exceder o limite de 5 MPH. A partir desse momento, você só pode andar à pé ou de bicicleta.

Para se ter uma idéia, apesar de ser uma “cidade” que só funciona por 1 semana, ela já está presente até no
Google Maps, e grupos atualizam anualmente com instalações de arte e endereços dos maiores acampamentos.

 

É um lugar com uma energia incrível, onde todos, com muito respeito, vão praticar sua espiritualidade. Como ele também foi queimado, era possível ver em todas as partes, pessoas escrevendo mensagens a pessoas especiais, ou mesmo deixando tributos a elas, com mensagens desde mensagens a um parentes que já se foram, xingamentos, declarações de corações partidos, e até mesmo uma foto do Robin Willians.

Na cerimônia em que o templo é queimado, ao invés da algazarra que aconteceu na queima do homem, todos estavam em silêncio, até mesmo os carros mutantes. A comunidade surpreende cada vez mais com o respeito que emana entre todos.

 

Como pode, em um lugar com tanta diversidade, onde todos estão pouco se importando com a opinião dos outros, haver tanto respeito?

A cada ano, arquitetos, artistas e engenheiros do mundo todo mandam suas aplicações para a construção do templo, que é escolhido a dedo pela organização do Burning Man. Saiba mais sobre Galaxia, templo de 2018.

 

O grande símbolo do Burning Man, e a cerimônia de queima faz jus à sua presença e expectativa. É uma grande algazarra, com todos os carros mutantes reunidos tocando música no centro de Black Rock City e todos se juntam para assistir de perto a cerimônia de queima. 

 

Com 65 mil pessoas reunidas pra ver um único acontecimento, claro que fica difícil conseguir um bom lugar para assistir, ​certo? Errado. Com muito respeito e solidariedade ao próximo, todos se sentam para assistir ao homem queimar. Todos sabem que, se todos sentarem, fica muito mais fácil todo mundo ver a cerimônia.​

O custo de construção e projeto do homem foi estimado em U$ 400,000.00, é a única obra de arte feita pela organização.

 
 

Você é responsável pela sua estadia e experiência no Burning Man, que pode ser o que você quiser que seja.

Se você quiser:

Fazer exercícios, aprender a meditar, ter aulas de yoga todos os dias, ver obras de arte incríveis,

ir pra balada todo dia, beber, farrear, ver DJs e bandas de todo mundo, indo de de balada em baladas sem parar?

Sim, esse é o lugar perfeito para você.

É incrível a quantidade de atividades e coisas a se fazer, explorar, sentir e vivenciar. Com tudo isso, resta a você fazer o seu roteiro de acordo com o que você gosta. 

ficar sozinho, refletir sobre a sua vida, se isolar da informação, fazer uma verdadeira jornada de desintoxicação do mundo lá fora, ou

E com tantas escolhas, isso acaba gerando o paradoxo da escolha, que acaba de uma maneira ou de outra te deixando infeliz. Uma expressão muito utilizada no Burning Man é o FOMO “Fear of missing out”, o medo de estar perdendo alguma coisa interessante por ai, quando você não pode estar em mais de um lugar ao mesmo tempo.

O Burning Man é um evento único, em sua riqueza cultural, artística, de expressão e senso de comunidade do ser humano. Chega a ser tão forte a experiência, que eu tenho amigos que relatam: “Para mim, o que mais fica perto de religião é o Burning Man.”A experiência de criar uma cidade no meio do deserto para 65.000 participantes em uma semana, e depois disso não deixar nada de rastro chega a ser utópica, mas é real.

 

Para fechar, alguns ensinamentos “do Homem”, para refletirmos e levarmos para a “vida real”:

“O Homem fala: ‘Eu não sou nada além de madeira, eu dei tudo para vocês, meus amigos,Você também deve dar tudo pelos seus. Eu não sou nada além de madeira,Eu não posso andar, falar, ou criar, apenas queimar, você também deve fazer aquilo que você faz de melhor. Eu não sou nada sem vocês, eu não sou nada além de madeira, mas com todos vocês ao meu redor, eu sou o Burning Man'”

SOBRE O AUTOR

Renato Stefani é Engenheiro mecatrônico, com especialização em tecnologias exponenciais e futurismo pela Singularity University, na NASA. Atualmente trabalha e estuda com Data Science e GrowthHacking. É também responsável pelo blog Hack Life.

 

O conteúdo do artigo original foi adaptado para esta página, para ler a matéria completa, clique aqui ​

Brazilian Burners - Grupo Não Oficial © 2018

ORGANIZADORES

Daniel Strickland 

Marcos Issler

BRAZILIAN BURNERS

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram

/brazilianburners

@brazilianburners

CRÉDITOS DO SITE

Design: Mariana Toledo

Fotos: Murilo Ganesh